Cultura

Cultura

Fazemos a criação, gestão e execução de projetos nas áreas de
Audiovisual, Artes Visuais, Literatura, Patrimônio, Humanidades, Teatro, Circo, Música e Dança.
Temos grande experiência no uso dos mecanismos de fomento à cultura via renúncia fiscal.
Contamos com mais de vinte anos de experiência em todas as etapas da produção cultural.
Possuímos grande vivência no campo da Economia Criativa

Nossos projetos mais recentes

A Prosa Nova é uma empresa da Economia Criativa

Existem várias metodologias para enquadrar uma atividade dentro do ramo da Economia Criativa. A Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (FIRJAN) realiza uma pesquisa sistemática sobre o setor e classifica as atividades da seguinte forma

Consumo
Cultura
Tecnologia
Mídias

Quais os critérios?

O governo britânico, que há anos dedica esforços específicos para o desenvolvimento deste setor, adota um modelo chamado de “intensidade criativa” para classificar as atividades produtivas dentro do conceito.
Segundo o modelo abaixo, uma ocupação precisa atender pelo menos quatro requisitos acima para ser classificada como participante da Economia Criativa.

Economia Criativa no Brasil

Em 2017 o setor movimentou mais de R$ 171,5 bilhões, 2,61% do nosso (PIB), segundo o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.
No país, segundo o governo federal (números de 2018) mais de R$ 10,5 bilhões de impostos diretos foram gerados pelas 251 mil empresas do segmento cultural.
As atividades que geram riqueza através da criatividade e inovação representam 7,4% dos empregos brasileiros, quase sete milhões de pessoas.
Existe uma previsão de crescimento nesta área na ordem de 4,6% até 2021, de acordo com um estudo da consultoria PwC.

Retorno para a sociedade

Em 2018, a Fundação Getúlio Vargas apresentou uma pesquisa sobre os resultados econômicos alcançados por um dos principais mecanismos de fomento cultural no Brasil, a Lei Rouanet (hoje Lei Federal de Incentivo à Cultura). Segundo o levantamento, que analisou 25 anos de produções viabilizadas pelo mecanismo, a cada um real captado por renúncia fiscal e investido em produtos culturais, R$ 1,59 retorna em média para a economia local.

Este levantamento da FGV é um dos indicativos da importância dos investimentos em cultura para o crescimento econômico de uma nação. Ele reforça a importância das leis de incentivo à cultura via renúncia de impostos e outros mecanismos de fomento à produção, tais como prêmios, fundos e outros tipos de aportes públicos e privados.

Blog

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Política de Privacidade.